Retábulo de Santa Ana, O Sagrado Coração e a Virgem de Carmen

Retábulo de Santa Ana, O Sagrado Coração e a Virgem de Carmen

Retábulos Sagrado Coração, A Imaculada, A Aurora, San Antón

Retábulos Sagrado Coração, A Imaculada, A Aurora, San Antón

Os Retables da Igreja de Santa Ana

Atualmente, os retábulos 10 são contados: o Altar Maior, A Virgem do Carmen, O Coração de Jesus, O Santo Cristo da Consuelo, A Imaculada Conceição, San Isidro Labrador, San Antón Abad, A Divina Aurora, O retábulo da Virgen de los Dolores e o de A Virgem do Pilar.
Contrapicado vista do Altarpiece*Da concessão da independência econômica da paróquia pelo Bispado em 1582, é acordado por decreto em 1594 para fazer a imagem do patrono, depois a construção dos altares, a torre, a conclusão do templo e os retábulos. É necessário diferenciar os altares dos retábulos, os primeiros foram feitos com alvenaria e colocados nos buracos destinados a eles. Mais tarde, a pedido dos Visitantes ou a suntuosidade do templo, foram substituídos por retábulos que foram depois dourados para embelezar o templo.
O primeiro Altar foi o Major, então em 1596, na Visita Paroquial realizada pelo Bispo de Calahorra Ilustrísimo Sr. Don Pedro Manso de Zúñiga (Riojano e confessor de Santa Teresa de Jesús). Os altares colaterais para a esquerda e para a direita foram dedicados ao Menino Jesus e ao João Batista, subsistindo até 1828. Em 1606, de acordo com o 1º Livro do folio 162 (de volta), foram organizadas as construções de vários altares: a do bebê Jesus, a da Santíssima Trindade, a de Nossa Senhora das Dores, de São Francisco e elas se tornaram construído, de acordo com os documentos escritos. De 1640 começaram a trabalhar na construção do retábulo principal e, alguns anos depois, na Conceição pura, embora já tivessem a estátua.

Os retábulos, inicialmente, foram dedicados, mas não todos, a reivindicações diferentes às que veneramos hoje. Todos pertencem aos séculos XVII e XVIII, exceto pelo retábulo da Virgen del Pilar que foi construído por uma casa de arte em Zaragoza no ano 1964 e que substituiu o mesmo nome do século 17, removido por deterioração devido a térmitas Isso o devastou. Eles incorporaram-lhe duas colunas salomónicas do retábulo da imaculada em detrimento deste último. No início do século, os devotos pagaram pelo atual, um substituiu o da Imaculada Conceição da s. XVII, esta operação foi realizada pelo pároco D. Juan Gabriel Villalba no ano 1917. Na restauração do templo nos anos 1962-64, o pároco D. Domingo, recuperou o antigo e ordenou que ele fosse restaurado e fosse colocado no seu lugar original. O outro retábulo foi o de San Antonio de Pádua que foi colocado em frente ao de San Antón Abad e à direita do Altar da Coroação que preside a Divina Aurora. Também foi removido com a restauração do templo.


* Dados principais: Arquivo paroquial e revisões estilísticas tiradas da revista ECOS PARROQUIALES dirigida por Agustín Pando e publicada no ano mariano de 1954, na questão extraordinária que apareceu em maio por ocasião do primeiro centenário da proclamação do Dogma da Imaculada.

ARTE DIGITAL

ARTE DIGITAL

Dinámicas infograficas y paisajes digitales
e

&

BLOG

BLOG

Reflexiones, Cuerpo y Arte en la Era Digital
e

&

VIAGENS E RELATÓRIOS

VIAGENS E RELATÓRIOS

Fotografias pessoais de diferentes viagens ao longo do tempo
GTranslate Your license is inactive or expired, please subscribe again!